Em 07/07/2021 realizamos este evento cujo tema foi propositadamente ligado ao anterior (02/06/21 – Inadimplência Condominial na Pandemia). A lógica foi a seguinte: se naquele tratávamos de um problema sério, inadimplência, neste revelamos uma das soluções viáveis, o financiamento.

Todos sabemos que bancos não financiam condomínios, e isto por uma razão muito simples: estes não possuem patrimônio para oferecer em garantia de crédito e, muito menos, síndicos ou membros do Conselho aceitam avalizar operações de financiamento porque se o fizerem, estarão, em benefício de todos os condôminos, assumindo obrigação financeira que poderá, em situações extremas, ter que se suportada pelo próprio tomador do crédito ou garantidor dele.

Sabedores desse problema sério advindo do fato de condomínios sequer serem, a rigor, pessoas jurídicas detentoras de patrimônios penhoráveis e, mais ainda, não terem fonte de renda própria, dependendo 100% de contribuições mensais (quotas condominiais), eis um cenário propício para problemas, especialmente quando a inadimplência explode. Ou, então, quando o condomínio precisa conduzir reformas ou adquirir equipamentos caros.

As soluções tradicionais — fazer chamamento de caixa com aportes extraordinários ou, mesmo, aumentar o valor das quotas condominiais –, não traduzem solução num cenário de inadimplência crescente. 

Foi aí que descobrimos a existência do CondoConta e, com a participação do administrador experiente, Rogério Robotton, idealizamos esta live em que esse assunto é detidamente esclarecido: como funciona, quanto custa, necessidade ou não de garantias, etc, etc. A participação de Rodrigo Della Rocca, CEO do CondoConta foi fundamental nesses esclarecimentos.

Esperamos estar, com este material, oferecendo aos nossos Associados e aos demais Condomínios, ainda não associados, conteúdo de elevado interesse prático para a administração do dia a dia condominial.

Estamos em tratativas para firmar parceria com CondoConta para oferecer aos nossos Associados condições especiais para contratação.

 

“Acresce, junte-se a nós e ganhe a força da coletividade que mora ou trabalha em condomínios”

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *