Gostar do que faz e ter conhecimento, fórmula de Affonso de Oliveira, síndico do Copan, para conduzir o maior ícone condominial do Brasil

Em entrevista exclusiva às mídias da Acresce (Associação dos Condomínios Residenciais e Comerciais de São Paulo), Affonso Celso Prazeres de Oliveira, 80 anos, síndico desde 1993, revela disposição extraordinária diante dos desafios apresentados pelo edifício Copan, inaugurado em 1966 e que traz em seu estilo sinuoso a marca do arquiteto Oscar Niemeyer.

O gigantismo impressiona. O prédio tem a maior estrutura de concreto armado do País, com 115 metros de altura, 32 andares e 120 mil metros quadrados, num total de 1.160 apartamentos de dimensões variadas. Estima-se que abrigue cinco mil residentes, além de 70 estabelecimentos comerciais.

Acresce: Qual a frequência das reuniões de condomínio e o nível de participação?

Temos apenas uma reunião anual. É muito custosa a convocação, que deve ser publicada em jornal de grande circulação, além do envio de convites. Dos 993 condôminos, a reunião que atingiu o ponto máximo de participação levou 154, de 15% a 20% do total, se forem consideradas as procurações.

Acresce: São frequentes os tumultos nessas reuniões?

De forma alguma. O clima é tranquilo e ordeiro. O mesmo ocorre no dia-a-dia do condomínio. Problemas, quando surgem, são resolvidos aqui em nosso escritório administrativo (Bloco F). Quando não se consegue, a questão vai para a Justiça. Polícia, no Copan, só em casos extremos. O que acontece no Copan fica no Copan (parodiando máxima usada em Las Vegas).

Acresce: Virou moda morar no Copan. Quais os perfis mais comuns de seus habitantes?

Temos muitos arquitetos. Artistas, celebridades? Prefiro não revelar, por uma questão de discrição.

Acresce: Como está a situação financeira do edifício?

Temos R$ 19 milhões em caixa. São recursos suficientes para arcar com custos fixos, 106 funcionários além de outros, mais obras. A reforma da fachada depende de aprovação do Patrimônio Histórico (exibindo amostras de pastilhas sobre sua mesa para a reforma da fachada, coberta por rede, que se arrasta há anos).

Acresce: Qual o destaque em termos de redução de custos condominiais?

Reduzimos o consumo diário de água de 1 milhão de litros para 360 mil litros. Essa economia significativa deve-se a válvulas instaladas pelo condomínio, que evitam vazamentos. Também fazemos a manutenção e revisão de forma centralizada. Temos ainda horários variáveis de funcionamento dos elevadores. Dos 20 em serviço, apenas 1/3 opera durante a noite, reduzindo o consumo de energia.

Acresce: Quais obras também vêm sendo realizadas?

Trocamos as caixas de água, instalamos gás de rua e interfones em todos os apartamentos. A qualidade de nossa cabine primária de energia é exemplar, o que, além de tudo, é fator de segurança.

Acresce: No que tange a este ponto, segurança, que mais o Copan oferece?

Temos equipes de atendimento de primeiros socorros e uma CIPA que faz exercícios mensais. No último caso de incêndio, numa loja, nós mesmos apagamos o fogo em 15 minutos. Num apartamento, foi em 7 minutos. Recebemos muitos elogios dos moradores. O Copan é uma atração. Temos dois tours diários de visitantes com cerca de 120 pessoas participantes em cada um deles.

Acresce: Qual a fórmula para ser um bom síndico?

Só deve aceitar o cargo quem dele gostar. Mas é preciso também ter conhecimento, muito conhecimento sobre tudo o que diz respeito à função.

Saiba mais: http://www.copansp.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *